| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

DIREITO DA SAUDE
Desde: 02/05/2014      Publicadas: 8      Atualização: 04/07/2015

Capa |  Direito Empresarial  |  Direito Saude


 Direito Saude
  19/05/2014
  0 comentário(s)


tetraplégica por erro médico
Plano de Saúde Condenado por Cirurgia
14/05/2014 -- 09h06


Plano de saúde indenizará mulher que ficou tetraplégica por erro médico




A operadora de plano de saúde deve responder por erro médico se tiver referenciado o profissional causador do dano. O ministro Luis Felipe Salomão aplicou a jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e rejeitou recurso da empresa Marítima Seguros.

No caso, uma paciente do Rio de Janeiro, após cirurgia para reparar hérnia de disco, ficou tetraplégica. Os médicos que realizaram a operação foram indicados pelo plano de saúde da vítima.

Segundo o processo, um dia após a intervenção cirúrgica, a paciente passou a sentir fortes dores, consideradas normais pelos médicos responsáveis pela operação. As dores persistiram e, algum tempo depois, a autora não conseguia sentir os membros. O quadro foi diagnosticado por um médico de plantão como tetraplegia.

Na ação de responsabilidade civil, a empresa Marítima Seguros alegou que os médicos são indicados apenas como referência, mas não são seus credenciados, funcionários ou prepostos, sendo a escolha do profissional exclusiva do cliente.

O ministro Salomão, relator do caso no STJ, afirmou que a jurisprudência pacífica sobre o assunto reconhece a legitimidade passiva da operadora do plano quando houver erro médico cometido por profissional referenciado.

"A cooperativa tem por objeto a assistência médica e celebra contrato com seus associados, regulamentando a prestação de seus serviços de maneira padronizada, por meio dos médicos e hospitais a ela filiados", explicou o ministro.

O relator ainda destacou que o entendimento dado pela segunda instância é o mesmo aplicado no STJ a situações semelhantes.

Assim, ficou mantida a condenação da seguradora ao pagamento de pensão vitalícia, mais R$ 150 mil a título de danos morais, além do ressarcimento dos gastos comprovados e custeio futuro com tratamento, cadeira de rodas e tudo o que for necessário para a paciente.


FONTE BONDE



  Mais notícias da seção Artigos no caderno Direito Saude
19/05/2014 - Artigos - ERRO MEDICO - CRM Registra aumento.;
Aumentam os casos de erro médico denuncia é do CRM...
02/05/2014 - Artigos - SAÚDE & CONSTITUIÇÃO - Os Direitos e a Cidadania
O Direito à Saúde na perspectiva das obrigações estatais para garantir a dignidade da pessoa humana....



Capa |  Direito Empresarial  |  Direito Saude
Busca em

  
8 Notícias